terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

POLÍCIA ACREDITA QUE MÉDICO PODE SER ESTUPRADOR EM SÉRIE EM PERNAMBUCO

A Polícia Civil de Pernambuco acredita que médico suspeito de abusar sexualmente de uma paciente dentro da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Imbiribeira, na Zona Sul do Recife, pode ser estuprador em série. A declaração foi feita na manhã desta segunda-feira pelo chefe da Polícia Civil, delegado Joselito Kehrle do Amaral. “O Departamento de Polícia da Mulher tem trabalhado intensamente para a conclusão deste caso. Parece-nos estarmos diante de um serial. Já estamos na quinta vítima. Três vítimas já compareceram a departamento e duas agendaram para hoje”, disse Joselito.   Ainda de acordo com o delegado, foi encontrado material orgânico masculino na primeira vítima, mas a polícia ainda precisa ter uma prova material de sua participação no crime, muito embora os depoimentos das vítimas e testemunhas sejam importantes. Acrescentando que, até o momento, todas as vítimas foram pacientes da UPA.

“Todo ato libidinoso, com violência física ou ameça com intuito  de praticar ato libidinoso é classificado como estupro. É importante que essas pessoas comparecem e entendem que só denunciando a polícia conseguirá fechar esse leque. O perfil do suspeito foge um pouco ao padrão dos estupradores, que geralmente tem uma proximidade com as vítimas, mas a sua profissão facilita o encontro com essas pessoas. É preciso a confrontação, que ele compareça e se preste ao exame. Se ele não comparece é considerado foragido”, acrescentou o chefe de polícia.
O traumatologista, que não teve nome nem idade divulgados oficialmente, foi afastado na manhã da quinta-feira passada pela Secretaria Estadual de Saúde. O Conselho Regional de Medicina em Pernambuco abriu sindicância para apurar o caso.
A vítima de 18 anos, que fez a primeira denúncia contra o médico, procurou atendimento no setor de traumatologia da unidade por volta das 9h da quarta-feira, após sofrer um acidente em casa. Segundo a mulher, o especialista solicitou alguns exames e, quando ela retornou para entregá-los, terminou sofrendo o abuso sexual no consultório. Assustada, a paciente deixou a unidade sem dizer nada. Somente às 21h, após ser encorajada pela mãe, procurou o plantão da 1ª Delegacia de Polícia de Prevenção e Repressão aos Crimes Contra a Mulher, no bairro de Santo Amaro, onde foi registrado um boletim de ocorrência por estupro. Ainda na noite da quarta-feira, a jovem realizou exame traumatológico e sexológico no Instituto de Medicina Legal (IML). Ela também foi encaminhada ao Serviço de Apoio à Mulher Wilma Lessa, que funciona no Hospital Agamenon Magalhães. Lá, recebeu medicações profiláticas contra infecções sexualmente transmissíveis (IST) e gravidez indesejada.
No dia seguinte ao crime, a coordenação da UPA encaminhou nota comunicado o afastamento do profissional e informando que a direção tomará medidas cabíveis, além de se colocar à disposição da polícia para apoiar a apuração do caso. A gestora do Departamento de Polícia da Mulher, a delegada Gleide Ângelo, explicou que o suspeito, já identificado pela SES, não podia mais ser preso em flagrante. Agora, a investigação busca provas robustas para sustentar o pedido de prisão preventiva à JustiçaFONTE: DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Nenhum comentário: