sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

USO INADEQUADO DE MOCHILAS DESENVOLVE ESCOLIOSE EM 58% DOS ALUNOS

Uma das regiões mais complexas do corpo, a coluna vertebral pode apresentar diversas disfunções, e 80% desses problemas estão relacionados diretamente aos maus hábitos posturais de crianças e adolescentes. É justamente nesta fase em que o corpo sofre mudanças fisiológicas importantes e que vão determinar o surgimento de algumas doenças. Uma pesquisa realizada por concluintes do curso de Fisioterapia da Faculdade Maurício de Nassau, unidade Natal, mostrou que 58% dos estudantes de uma escola pública do Rio Grande do Norte que transportam a mochila lateralmente apresentam escoliose torácica (desvio lateral na coluna na altura do tórax).
A pesquisa foi realizada com 33 alunos da Escola Estadual Almirante Tamandaré, no município de Extremoz (RN), na faixa etária entre 11 e 15 anos. Durante dois meses, os estudantes de Fisioterapia Christian Tavares e Liliane de Brito, autorizados pela coordenação da escola, interagiram com os discentes realizando palestras para orientação, aplicaram questionários sobre o modo de uso da mochila, avaliaram o peso das bolsas e fizeram testes de percepção de dor.
“Sou moradora da cidade e já havia observado que muitos alunos usavam a mochila de maneira errada e que tinham alterações posturais. Nossa tese é de que essas alterações poderiam ser causadas pelo sobrepeso ou a forma como eles levavam o material escolar”, explica Liliane.
Um dado que surpreendeu os pesquisadores é de que não havia carga excessiva nas mochilas verificadas. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o peso das mochilas escolares não pode ultrapassar 5% do peso dos alunos, no caso daqueles com idade pré-escolar, ou 10% do peso para os escolares. Além disso, a maior parte dos pré-adolescentes e adolescentes entrevistados não relatou dores intensas.
No entanto, foi verificado que a maioria desses jovens afirmava usar a mochila apenas lateralmente. Ao avaliar alterações relativas à presença de escoliose lombar e torácica, percebeu-se que esse hábito provocou um aumento no índice da doença: 68% das crianças apresentaram um dos dois problemas. O ombro esquerdo (no qual os alunos afirmavam levar prioritariamente a mochila) demonstrou elevação em 36% dos casos.
“Essa elevação acontece porque, para compensar o peso concentrado em um lado só, os alunos tendem a levantar o ombro causando essa alteração”, explica o co-orientador do projeto, prof. Pablo Santiago, fisioterapeuta especialista em Coluna Vertebral. Ele acrescenta que os problemas de coluna também já podem estar relacionados a disfunções de áreas inferiores em regiões como o quadril e até nos pés. Ele aconselha que os pais devem estar atentos à postura dos filhos e observar questões como o peso elevado nas mochilas e ainda recomenda que sejam estimulados alongamentos antes e ao final do dia.

Nenhum comentário: