quarta-feira, 23 de novembro de 2016

NÚMEROS DO IBGE APONTAM AUMENTO DE DESEMPREGO NO RIO GRANDE DO NORTE

Por: Bianca Pessoa

IBGE fez alerta sobre grande número de pessoas sem emprego no Rio Grande do Norte. A taxa de desocupação do 3º trimestre de 2016 é de 14,1%, 2,5% a mais quando comparada ao mesmo trimestre de 2015. O aumento de pessoas sem emprego neste período passou de 198 mil para 217 mil enquanto que número de pessoas ocupadas diminuiu de 1,369 milhão, em 2015, para 1,318 milhão, em 2016, uma baixa de 51 milhões.
Além do desemprego, o rendimento médio real mensal das pessoas que possuem emprego caiu de R$1.567 no 3º trimestre de 2015 para R$1500, em 2016. A massa de rendimento real mensal das pessoas ocupadas caiu de R$2,08 bilhões para R$1,93 bilhão.
Em Natal e Região Metropolitana, taxa de desocupação é de 15,2% no terceiro trimestre de 2016. Entre mulheres, a taxa é ainda maior, somando um total de 17,6% da população desocupada.
Aldemir Freire, Chefe da Unidade Estadual do IBGE, explica em entrevista ao Agora RNque ainda não há sinais de saída da crise no Rio Grande do Norte. “O processo é cíclico. As pessoas desempregadas não compram, o comércio e os serviços não vendem e portanto demitem ou fecham as portas e mais pessoas ficam desempregadas”, explica Freire.
Mais detalhes
Pesquisa do IBGE com números de desemprego no estado apontam quatro tipos de taxas. A primeira taxa, mais simples e mais usada, é a taxa de desocupação que representa as pessoas que não estão trabalhando e estão procurando emprego. Essa é a taxa de 14,1%, ou 217 mil pessoas no Rio Grande do Norte.
A taxa de subocupação por insuficiência de horas trabalhadas representa as pessoas que têm um trabalho de menos de 40h semanais e desejam e têm disponibilidade para trabalhar mais. Os trabalhadores subocupados somam 120 mil no estado, 7,8% da taxa total. Número é de 21,9% quando somado com taxa de desocupados.
A taxa de força de trabalho potencial é referente às pessoas que não estão trabalhando e que não estão procurando emprego, mas que apresentam disponibilidade para trabalhar. Essas pessoas somam 209 mil, 10,3% da taxa. Número é de 24,4% quando somado com taxa de desocupados.
A taxa composta de subutilização da força de trabalho é a soma entre os desocupados, os subocupados e a força de trabalho potencial. O total é de 546 mil pessoas ou 31,3% no total. FONTE: AGORARN

Nenhum comentário: