segunda-feira, 2 de maio de 2016

SAUDE: CONHEÇA ALGUNS MITOS DE SAÚDE DERRUBADOS PELOS MÉDICOS

Andar descalço causa gripe e resfriado? Álcool corta o efeito do antibiótico? Celular causa câncer? Médicos gabaritados contam para a gente as maiores crenças que ouvem nos consultórios e revelam a verdade sobre elas. Veja quais são:

Bebida gelada causa pneumonia ou dor de garganta
Não tem nada a ver, esses problemas são causados por vírus ou bactérias. No entanto, há pessoas que têm problemas de origem alérgica relacionados ao frio”, destaca o clínico geral Alfredo Salim Helito, do Hospital Sírio Libanês. Alguns quadros clínicos que podem ser desencadeados devido ao frio são: sinusite e asma, ambas doenças respiratórias, e até mesmo a urticária por exposição a temperaturas baixas.
Dormir logo após comer causa indigestão
É mito! “Muito pelo contrário, quanto menos atividades a pessoa faz após as refeições, mais o corpo consegue se empenhar em realizar uma boa digestão”, explica o clínico geral Abrão José Cury Junior, presidente do departamento científico de Clínica Médica da Associação Paulista de Medicina.
Água com açúcar acalma os nervos
Quando ingerido, o açúcar se transforma em energia para o organismo, sem qualquer efeito sedativo. A sensação de calma pode ocorrer se a pessoa costuma sempre recorrer aos doces em momentos de ansiedade e nervosismo e se sente melhor depois disso, mas isso seria um efeito psicológico e não da água com açúcar em si.
É preciso dormir 8 horas
“Cada um possui uma quantidade de horas que precisam dormir para reparar o organismo. Existem pessoas que precisam de menos de oito horas, enquanto há aquelas que necessitam de mais de 8 horas”, observa a clínica geral Bertha Furlan Polegato, professora da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp).
Andar descalço causa gripe
Andar descalço não aumenta o risco de uma pessoa ter gripes e muito menos pneumonia. “As causas dessas doenças são vírus e bactérias, portanto não há relação”, afirma o clínico geral e infectologista Paulo Olzon, professor do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).  Fonte: Catraca Livre

Nenhum comentário: