quinta-feira, 31 de março de 2016

CHUVAS ELEVAM VOLUME DA BARRAGEM ARMANDO RIBEIRO GONÇALVES

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do estado (EMPARN) registrou ocorrência de fortes precipitações chuvosas entre a terça-feira (29) e a manhã de ontem em grande parte do interior do Rio Grande do Norte. A região do Seridó foi a mais beneficiada com as chuvas.

A alta incidência chuvosa, que em alguns municípios ultrapassou a marca de 100 milímetros, provocou o acumulo de água em diversos reservatórios do estado. A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, principal reservatório potiguar, recebeu cerca de 29 milhões de metros cúbicos de água e, segundo a Secretaria Estadual de Recursos Hídricos, atingiu a marca de 21% de seu volume total.

A cidade que apresentou o maior acúmulo de chuva foi o município de Angicos, na mesorregião Central. De acordo com a EMPARN, em 24 horas, choveu cerca de 132 milímetros no distrito.
Também foram registrados altos índices chuvosos nas cidades de São João do Sabugi (100mm), Acari (98,7mm), Pedro Avelino (98,7) e Mossoró (68mm). Houve ainda registro de precipitações de média e forte intensidade em outros municípios das regiões Oeste, Central e em parte do Agreste. 

As chuvas acabaram sendo acima do esperado para o período do ano, uma vez que a época chuvosa caminha para o seu término. Ainda assim, a EMPARN prevê a ocorrência de mais chuvas de média e forte intensidade para os próximos dias. 

A regressão fenômeno ‘El Niño’, responsável por aquecer as águas do oceano pacífico, seria o causador principal das precipitações previstas para o decorrer da semana. Caso o aquecimento do oceano pacífico continue em processo de redução, é possível que o período chuvoso se estenda além do mês de maio, quando normalmente se encerra o “inverno” na região nordeste.
Em 2016, o ‘El Niño’ atuou cerca de 1,5° acima das temperaturas normalmente registradas, maior patamar desde 1990. De acordo com o meteorologista da EMPARN Gilmar Bistrot, as precipitações registradas entre terça e quarta-feira, em especial, foram provocadas pela Zona de Convergência Intertropical (ZCI). É a primeira vez no ano que o fenômeno age no Semiárido nordestino.

Gilmar ainda disse que a tendência é de que as chuvas durem pelo menos mais dez dias no estado. A região Oeste potiguar deve receber maiores registros de chuva.

Ainda de acordo com Gilmar Bistrot é possível que, com a redução do ‘El Niño’, o período de chuvas no Rio Grande do Norte se estenda até meados de junho. “Caso isso aconteça, o solo ficará mais propenso para que o agricultor plante culturas leves, como feijão e milho, e reduzir a deficiência hídrica no sertão”, avaliou. FONTE:  NOVO JORNAL

Nenhum comentário: