quinta-feira, 24 de março de 2016

BARRAGEM ARMANDO RIBEIRO PODE ENTRAR EM COLAPSO ESTE ANO

As fortes chuvas registradas no início deste ano não foram suficientes para reabastecer os reservatórios hídricos do Estado, que continuam a atingir níveis cada vez mais preocupantes. Até o momento, já são 11 barragens e açudes completamente secos e outros 14 encontram-se no chamado “volume morto”, que é quando a vazão não acontece mais de forma natural e são necessários outros meios para que essa água seja bombeada e aproveitada para o uso humano.

Essas informações foram apresentadas em um relatório do Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (Igarn), que avaliou a situação de 47 reservatórios com mais de cinco milhões de m³ de água, entre os dias 19 e 21 de março. Além desses dados alarmantes, o documento trouxe outra previsão ainda mais assustadora.
Caso o quadro não se reverta nos próximos meses, o maior reservatório potiguar, a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, pode entrar em colapso até novembro. Localizada na bacia Piranhas-Açu, ela está hoje com somente 19,81% de sua capacidade total. Isso representa um volume de 475,4 milhões de m³. 

Essa já é a pior medição registrada na história do reservatório, que comporta até 2,4 bilhões de m³ de água e nunca havia estado tão seco antes. De acordo com o diretor presidente do Igarn, Josivan Cardoso Moreno, a partir do relatório divulgado pelo instituto, estão sendo elaboradas resoluções que restrinjam o uso da Armando Ribeiro Gonçalves, preservando o volume já existente e estendendo esse prazo até fevereiro de 2017.
“Hoje está com essa capacidade restrita e há uma resolução entre o Igarn e a Agência Nacional de Águas que faz toda a delimitação de como deve ser usada aquela água. Essa resolução, que está sendo feita desde o ano passado, é para que possamos ter a maior quantidade de água suficiente pelo maior tempo permissível”, explica.

Ainda segundo o diretor, a nova norma deve ser acompanhada por um serviço de fiscalização. “A ideia é que essa resolução consiga, dentro do que está sendo pleiteado e junto com todo o processo de fiscalização, monitoramento e uso restrito, estender o uso da Armando Ribeiro até fevereiro de 2017”, informa, acrescentando que o monitoramento da barragem é realizado pela Igarn em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA).  “As simulações feitas pelo monitoramento já dão conta de que  está em situação crítica, abaixo do volume que precisaria ter”, alerta.
Estado de emergência continua
O decreto do Governo do Estado, que estabelece situação de emergência em 153 dos 167 municípios potiguares por causa da seca, completa um ano na próxima segunda-feira (28). As chuvas que foram observadas nesse período não foram suficientes para abastecer a maioria dos reservatórios e as cidades continuam sofrendo com a escassez de água nas torneiras.

O cenário mais preocupante encontra-se no interior, sobretudo nas regiões do Seridó e do Oeste potiguar. Por lá, a população de Acari, Currais Novos, Martins e outros 18 municípios ainda dependem de caminhões pipa ou poços artesanais para ter acesso à água. Além disso, muitas famílias ainda se veem obrigadas a comprarem garrafões de água mineral, que são utilizados, inclusive, para necessidades básicas do lar, como lavar roupa ou louça.

Situações como essa forçaram o Governo do Estado a renovar o decreto, que inicialmente era válido por apenas 180 dias, por mais seis meses. Segundo informou o secretário Mairton França, a renovação aconteceu na últi-ma segunda-feira (21). 

“Se mantiveram os 153 municípios que já estavam no [decreto] anterior e ele vai valer por mais seis meses. Vamos procurar, a partir disso, fazer compras de maneira mais ágil para atender a situação de emergência que, ao que tudo indica, se aprofundará neste ano de 2016”, declara.

Desse total, 21 cidades estão em colapso total de abastecimento. Há a previsão de que esse número seja ampliado ainda nesse primeiro semestre, caso o atual quadro não se modifique. 
“Hoje nós temos 21 municípios em colapso, contando que 20 possuem contrato de concessão com a Caern e um deles não, que é Alexandria, que tem um sistema autônomo do Saae. A previsão é que, em julho, outros 27 também entrem em colapso, chegando a 48 municípios, caso não haja recarga”, informa Mairton França.

Outros 74 municípios estão regime de rodízio imposto pela Caern. Eles contam com o abastecimento limitado e que é interrompido por completo em determinado dias da semana. Para o titular da SEMARH, somente novas chuvas poderiam aliviar a situação neste momento crítico.

“Estamos aguardando as chuvas deste ano. A previsão é que sejam abaixo da média, mas vamos esperar que elas deem alguma recarga para os reservatórios que são utilizados por esses municípios”, espera o secretário. A seca enfrentada pelo RN já é a pior dos últimos 100 anos.

Transposição do Rio São Francisco pode amenizar crise hídrica

Com o Rio Grande do Norte enfrentando a pior seca do último século, de acordo com diversos especialistas em clima, o Governo do Estado aposta na conclusão das obras de transposição do Rio São Francisco para amenizar os sintomas da estiagem prolongada. 

De acordo com Mairton França, titular da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), as águas do “Velho Chico” devem chegar primeiro pela região Seridó, uma das mais afetadas com a falta de abastecimento
“A gente tem hoje uma obra importante, com 93% concluída, que é a transposição do Rio São Francisco. Isso vai trazer água do São Francisco para o RN através da perenização do Rio Piranhas. Essa água vai para a Armando Ribeiro Gonçalves e deve, logo de cara, beneficiar aquela região de Jardim de Piranhas, São Fernando, Timbaúba e Caicó”, esclarece o secretário.

Segundo informa, a prioridade é levar água até a cidade de Caicó, uma das mais populosas do Estado e que está em colapso total desde o ano passado. “A nossa maior preocupação hoje é exatamente a população de Caicó, que são 62 mil pessoas e que não dá para atender essa quantidade com carros pipa. Isso é tecnicamente impossível”, pontua.

“A gente fica nessa expectativa. Para você ter uma ideia, o fluxo de água do Rio São Francisco será capaz de encher a barragem Armando Ribeiro Gonçalves quase duas vezes por ano. Então teremos essa condição a mais de oferta de água, a partir da transposição concluída e a previsão é que isso aconteça em dezembro”, acrescenta o titular da Semarh. FONTE: AGORA RN

Nenhum comentário: