sábado, 7 de novembro de 2015

DOENÇA PODE FAZER COM QUE OS DEDOS DO SEU PÉ CAIAM SEM MAIS NEM MENOS

Amputação é o tipo de coisa que causa calafrio em todas as pessoas. Afinal, ninguém deseja perder sumariamente qualquer parte de seu corpo. Pois bem, o que dizer então da… auto-amputação?
O termo, que não é científico, significa isso mesmo que você pensou: um membro — normalmente um dedo — “decide” se amputar lentamente. É uma doença conhecida como dactylolysis spontanea.
A aparição da doença não é nova, mas segue sendo extremamente misteriosa para médicos. No Brasil, por exemplo, observações do médico José Francisco de Silva e Lima datam de 1867. De lá pra cá, vários casos surgiram e nenhum deles foi explicado.
O processo que envolve essa doença é sempre o mesmo e não tem tratamento. Em alguns casos, dura anos até que se chegue ao ponto final, aquele no qual a pessoa acaba perdendo o membro que é afetado pela doença.
Em um primeiro momento, há o surgimento de uma camada de tecido duro que se forma ao redor da base do dedo — nos casos mais comuns. Essas faixas se tornam cada vez menores e mais apertadas, fazendo o dedo inchar.
Quando mais estreita e apertada essa faixa fica, mais perigosa a situação está. Quando chega a um nível insuportável, ela quebra os ossos, deixando o dedo pendurado por um pouco de tecido e o restante da estrutura óssea. No fim de todo o processo, finalmente, a parte se descola completamente do corpo.

Não há, até hoje, qualquer explicação plausível sobre a doença. Nem suas causas, nem seu tratamento e muito menos qualquer tipo de diagnóstico antecipado. A recomendação dos médicos é que pessoas que a parte seja amputada logo que a doença aparecer, evitando dores extremas e chegando de maneira mais “tranquila” à inevitável perda do membro. FONTE: YAHOO

Nenhum comentário: