sexta-feira, 24 de julho de 2015

“MÁ FÉ OU FALHA NA DIGITAÇÃO”, DIZ LARISSA ROSADO SOBRE SUPERSALÁRIO NA APAMIM

A ex deputada Larissa Rosado, do PSB, disse que realmente trabalhou na Associação de Assistência e Proteção à Maternidade e à Infância de Mossoró de 2000 a 2003.  Entretanto, ao contrário do que informa o Ministério Público Estadual no processo pedindo a extinção da APAMIM na 3ª Vara Civil, não ganhava R$ 205.958,00.
Veja reportagem: Ex-deputada Larissa Rosado tinha salário de R$ 205.958,00 na APAMIM, diz Caged
Segundo Nota de Esclarecimento de Larissa Rosado, o valor do salário dela era de R$ 2.059,58, contrariando frontalmente uma informação crucial que está numa ação movida pelo Ministério Público Estadual na 3ª Vara Civil de Mossoró, o qual MOSSORÓ HOJE teve acesso.

“Observe a coincidência dos números e perceba que, por má fé ou falha de digitação, alguém acrescentou dois zeros à remuneração verdadeira, transformando R$ 2.059,58 em R$ 205.958,00”, escreveu em documento assinado entregue à Redação MOSSORÓ HOJE.
Ressalta ainda que não responde a processos judiciais ou administrativos e que o valor real de seus “vencimentos aos quais fiz jus por meu trabalho na Apamim era compatível com a época e a função desempenhada”, destaca-se na Nota de Esclarecimento.
A ex deputada apresenta como prova pelo o que diz, extratos da Caixa Econômica Federal onde consta o NIT os valores recolhidos (conferindo com R$ 2.059,58) referentes ao FGTS do período que Larissa Daniela Escóssia Rosado Andrade trabalhava na APAMIM.
Os advogados Cid Augusto e Samara Couto, da ex deputada Larissa Rosado, chamam atenção para o fato de a Cópia da declaração  RAIS – Relação Anual de Informações que consta junto ao Ministério do Trabalho e que é a base para alimentar o CAGED. Este documento também revela salário de 2.099,58 e não de R$ 205.958,00 como consta na peça do Ministério Público Estadual pedindo da dissolução da APAMIM na 3ª Vara Cívil de Mossoró.
Segundo o advogado Cid Augusto, que é irmão de Larissa Rosado, estes dois documentos por si só já comprovam a veracidade das informações prestadas por Larissa Rosado e acrescenta que ficou sabendo do equívoco no processo através da reportagem do MOSSORÓ HOJE.
Os advogados ou os esclarecimentos prestados na nota pela ex deputada estadual Larissa Rosado não comenta sobre os empréstimos milionários, sobre as atas forjadas, que também estão citadas na peça do Ministério Público Estadual no mesmo processo e que foram citadas na reportagem.
Os mesmos esclarecidos, os advogados Cid Augusto e Samara Couto disseram que vão solicitar por oficio que seja feito no processo movido pelo Ministério Público Estadual no processo que pede a dissolução que corre na 3a Vara Civil de Mossoró.

VEJA NOTA NA ÍNTEGRA
Prezado 
Trabalhei na Apamim de 1º de janeiro de 2000 a 29 de janeiro de 2003 e meu último salário contratual foi de R$ 2.059,58 (DOIS MIL E CINQUENTA E NOVE REAIS E CINQUENTA E OITO CENTAVOS), conforme documentação anexa.
O portal “Mossoró Hoje”, editado e dirigido por Vossa Senhoria, cometeu grave engano ao publicar, às 12h7min, a matéria “Ex-deputada Larissa Rosado tinha salário de R$ 205.958,00 na APAMIM, diz Caged”.
Observe a coincidência dos números e perceba que, por má-fé ou falha de digitação, alguém acrescentou dois zeros à remuneração verdadeira, transformando R$ 2.059,58 em R$ 205.958,00.
Ressalto que não respondo a processos judiciais ou administrativos e que o valor real dos vencimentos aos quais fiz jus por meu trabalho na Apamim eram compatíveis com a época e a função desempenhada.
Os papéis anexos, que comprovam minhas afirmações, foram apresentados a repórteres de outros veículos de comunicação, que, percebendo a falha, desistiram da pauta fundada em dados mentirosos.
Chamo a atenção dos seus advogados e contadores para a cópia da declaração RAIS – Relação Anual de Informações que consegui junto ao Ministério do Trabalho e é a base para alimentação do Caged.
Reposta a verdade, e como não fui procurada por este noticioso nem antes nem depois para defender minha honra, tomo a iniciativa de solicitar a publicação dos esclarecimentos com os mesmos espaço e destaque da acusação.
Larissa Rosado
FONTE: COM INFORMAÇÕES DE MOSSORÓ HOJE

Nenhum comentário: