quarta-feira, 24 de junho de 2015

ALTA UMIDADE E FOGUEIRAS CONTRIBUEM PARA NÉVOA EM NATAL, EXPLICA EMPARN

A quarta-feira (24) amanheceu diferente na capital potiguar: uma névoa se formou na atmosfera e surpreendeu os natalenses. De acordo com a Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn), a 'névoa úmida' aconteceu por causa da alta umidade relativa do ar e da queda de temperatura. Além disso, as fogueiras de São João, segundo a Emparn, tiveram uma contribuição mínima para o fenômeno. “Teria acontecido mesmo sem as fogueiras”, disse o meteorologista Gilmar Bistrot.
Ele explicou ao G1 que a média de umidade chegou a 95% durante a madrugada e a temperatura mínima alcançou 22 graus. “Isso fez com que houvesse a condensação do vapor d’água presente na atmosfera, formando partículas de água suspensas. Essas partículas ficam circulando no ar porque não têm peso significativo para vencer a força da gravidade e cair. Como não há a formação de chuva, as partículas ficam circulando até que o sol as faça evaporar ou o vento as desloque”, disse.
Repercussão
A névoa chamou a atenção dos natalenses que não estão acostumados com o fenômeno. “Nunca vi isso em Natal. Cheguei a pensar que seria por causa das fogueiras de São João, mas quando vi que era na cidade toda já mudei de ideia”, disse o empresário Marcos Antônio Silva, de 42 anos.

Gilmar Bistrot confirmou que não é comum a formação de névoa úmida no litoral do Nordeste. Nas redes sociais, os natalenses também expressaram a surpresa com o fenômeno. "Natal amanhece na dúvida: Névoa, fumaça das fogueiras de ontem ou incêndio de hoje?", postou Jânio Vidal no Twitter.
O jornalista Cristiano Félix postou uma foto no Instagram com a legenda: "Depois de um dia de chuva e uma noite de fogos em homenagem a São João, Natal amanheceu assim: irreconhecível. O Parque das Dunas quase sumiu".
FONTE: G1 DO RN

Nenhum comentário: