quinta-feira, 7 de maio de 2015

“MULHER QUE BATE COMO HOMEM, TEM QUE SABER APANHAR COMO HOMEM”

Uma chuva de imitações de notas de dólares jogada por sindicalistas que estavam nas galerias do plenário sobre a bancada do PT foi o estopim de um bate-boca entre deputados no fim da tarde desta quarta-feira, durante votação da MP 665, que altera as regras de concessão do seguro-desemprego, do abono salarial e do seguro-defeso para o pescador profissional. A confusão começou após o deputado Alberto Fraga (DEM-DF), integrante da bancada da bala, dizer à deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) que “mulher que bate como homem, tem que apanhar como homem também”. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), chegou a suspender a sessão de votação por cinco minutos.

A briga ocorreu porque Jandira acusou o deputado Roberto Freire (PPS-SP) de ter batido nas costas do comunista Orlando Silva (SP) e de ter empurrado seu braço. Quando a parlamentar disse que iria acionar a Comissão de Ética, Fraga gritou ao microfone:

— Ah, que que é isso?

Jandira respondeu:

— O que que é isso, o que?

— Mulher que participa da política e bate como homem, tem que apanhar como homem também. É isso mesmo, presidente — rebateu Fraga para, em seguida, chamar os colegas para a briga:

— Aqueles que são mais valentes, me procurem logo após aqui (sessão) — discursou Fraga.
Em apoio a Jandira, o deputado Glauber Braga (PSB-RJ) disse que não se pode esperar nada de uma pessoa conhecida no Distrito Federal como “matador”.

— A fama desse deputado no DF, de matador, não vai me intimidar — disse Glauber. A parlamentar acionará o deputado na Comissão de Ética da Câmara por quebra de decoro e estuda uma ação na Justiça comum.
FONTE: O GLOBO

Nenhum comentário: