sexta-feira, 21 de março de 2014

DILMA MANTÉM ÍNDICE PARA 1º TURNO


A presidenta Dilma Rousseff tem 43% das intenções de voto e 21 pontos porcentuais de vantagem sobre os principais adversários, revela a primeira pesquisa Ibope do ano sobre as eleições de outubro. Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) aparecem, respectivamente, com 15% e 7%. Com esse resultado, a petista venceria no primeiro turno se a eleição fosse realizada hoje, pois teria mais votos que a soma dos adversários. Mas os brasileiros só irão às urnas daqui a mais de seis meses, e a maioria não está interessada na sucessão, segundo revela a pesquisa. Em relação ao levantamento anterior do Ibope, feito em novembro do ano passado, o quadro é de estabilidade. Dilma e Campos mantiveram seus índices, e Aécio oscilou um ponto para cima.
Além de medir as intenções de voto sobre os três principais candidatos, o Ibope avaliou cenários em que incluiu, pela primeira vez, nomes de “nanicos” na lista apresentada aos entrevistados. Nesse caso, os representantes do PT, do PSDB e do PSB aparecem, respectivamente, com 40%, 13% e 6%. Pastor Everaldo (PSC), com 3%, e Randolfe Rodrigues (PSOL), com 1%, são os únicos nanicos com pontuação na pesquisa. Mesmo neste cenário com mais candidatos, Dilma fica com mais eleitores que a soma dos adversários (40% a 23%) - condição necessária para vencer no primeiro turno.

Em um eventual segundo turno, a petista também seria vitoriosa, se a eleição fosse realizada hoje. Contra Aécio, sua vantagem seria de 27 pontos porcentuais (47% a 20%). Em uma disputa direta com Campos, a distância chegaria a 31 pontos (47% a 16%)

Tendência
O fraco desempenho dos candidatos da oposição contrasta com o desejo de mudanças expresso pela maioria dos eleitores. Nada menos que 64% afirmaram esperar que o próximo presidente “mude totalmente” ou “muita coisa” na próxima gestão. Apenas 32% esperam continuidade “total” ou de “muita coisa”. Entre os “mudancistas”, a preferência para que outro ocupante do Palácio do Planalto promova novas políticas é de 63%. O consolo para Dilma é que a presidenta ainda é a favorita de um em cada quatro eleitores que defendem significativa ou total alteração de rota na condução do País: 27% dos “mudancistas” optam pela permanência da petista no poder.

Quando todo o universo de entrevistados é consultado, o resultado é diferente. Diante da pergunta “quem tem mais condições de promover as mudanças de que o País ainda necessita?”, Dilma aparece com 41%, com larga vantagem sobre Aécio (14%) e Campos (6%). O Ibope também testou cenários em que a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva é listada como candidata, no lugar de Eduardo Campos - apesar da possibilidade remota de que a chapa do PSB seja alterada até a votação, em outubro.

Em uma eventual disputa entre Dilma, Aécio e Marina, as intenções de voto são de 41%, 14% e 12%, respectivamente. Marina vem perdendo terreno nas simulações desde outubro, época em que era a preferida de 21% do eleitorado. Em um segundo turno entre Dilma e a ex-ministra do Meio Ambiente e a candidata derrotada a presidente pelo PV em 2010, a petista venceria por 45% a 21%. O Ibope ouviu 2.002 pessoas em 140 municípios entre os dias 13 e 17 de março. A margem de erro do levantamento é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado para calcular o tamanho da amostra e a margem de erro é de 95%.

NÚMEROS
Percentuais de intenção de voto:
43% é o índice de Dilma Rousseff na pesquisa do Ibope
15%  é o índice de intenção de voto de Aécio Neves no Ibope
7% é o índice de intenção de voto de Eduardo Campos no Ibope

Nenhum comentário: