quinta-feira, 13 de março de 2014

COMISSÃO DE FINANÇAS APROVA CONVOCAÇÃO DE MINISTROS


A presidenta Dilma Rousseff sofreu ontem nova derrota na Câmara dos Deputados. Depois de muita discussão, comissões da Câmara aprovaram pedidos de esclarecimento de cinco ministros e da presidente da Petrobras, Graça Foster. Dilma Rousseff, porém, avisou que não mudará a estratégia adotada até agora e aposta na implosão do “blocão”.
Liderado pelo líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), o “blocão” formado por oito partidos da base aliada e um da oposição comandou a convocação de ministros na comissão de Fiscalização Financeira e Controle. No Palácio do Planalto, a presidenta disse ter certeza que o “blocão” não vingará. Apesar das derrotas sofridas na Câmara, o governo conseguiu convencer o PP e o PDT a se retirar do grupo de rebeldes. A estratégia do Planalto é ameaçar tirar ministérios dos partidos da base que se comportam como oposição.

Dilma Rousseff se reuniu ontem à tarde com o chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e com a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, para avaliar as derrotas impostas ao governo por sua base de apoio. A presidenta também conversou com o vice-presidente Michel Temer. Disse que pretende concluir a reforma ministerial na amanhã e vai deixar o PMDB por último.

Se o PMDB não indicar nenhum nome para o ministério, ela escolherá técnicos para os cargos. O mais cotado para ocupar o Ministério da Agricultura é o secretário de Política Agrícola, Neri Geller. Com a tarefa de enterrar o “blocão”, Mercadante foi escalado para iniciar nova rodada de conversas com os partidos da base. Ao longo de todo o dia, a base de sustentação de Dilma na Câmara escancarou a insatisfação com o governo e mostrou estar disposta a dar o troco pelo “represamento” de emendas e cargos.

Nenhum comentário: