domingo, 23 de fevereiro de 2014

GUAMARÉ TERÁ MAIS DE R$ 130 MILHÕES SÓ DE ICMS EM 2014

Fabiano Souza - JORNAL DE FATO

Em 2014, Guamaré atinge o segundo lugar, entre os municípios do Rio Grande do Norte, que mais arrecadaram Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), superando a cidade de Mossoró.

De acordo com a previsão oferecida pela Federação dos Municípios do RN (Femurn), Guamaré vai arrecadar este ano mais de 130 milhões em ICMS, enquanto Mossoró deverá arrecadar pouco mais de 104 milhões.
Na primeira posição aparece a capital do RN, Natal, que deverá arrecadar cerca de 270 milhões.

Além de todo esse montante do ICMS, o município de Guamaré recebe ainda outras receitas como o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e os royalties do petróleo. Somente no mês de janeiro o município recebeu mais de R$ 2,7 milhões de royalties de petróleo.
Mesmo assim, a população reclama da falta de serviços básicos de qualidade e infraestrutura, como saneamento, abastecimento e habitação. Ruas sem pavimentação, esgotos a céu aberto e moradias improvisadas são comuns na cidade.
Uma pesquisa do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) coloca Guamaré entre as 15 principais cidades com o maior PIB per capita em sua área de atuação que corresponde à região Nordeste, norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo, mesmo assim, essa riqueza não chega à maior parte da população.

Para o professor Raimundo Fernandes, da Universidade Potiguar (UNP), campus de Mossoró, especialista em Cenários Econômicos, as desigualdades sociais no Brasil e principalmente no Nordeste ainda são muito elevadas, contudo, o PIB Per capita sozinho não revela que a riqueza produzida em Guamaré não está sendo revertida em benefícios para a população local.

"O PIB per capita é uma análise importante, aproxima um pouco a noção da riqueza gerada e uma ideia de como ela é distribuída, porém é necessário observar outros indicadores dentro do conjunto da sociedade, sobretudo na questão da renda pessoal. Não se pode considerar como próspera a riqueza produzida se ela não tem sido convertida em melhorias para as pessoas do local, como vem ocorrendo em Guamaré e outras cidades do RN”, acrescenta.

Nenhum comentário: