domingo, 29 de dezembro de 2013

Governadora afirma que o seu nome em Mossoró continua sendo Cláudia Regina


Entrevista da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) ao jornalista Jotta Paiva, publicada na edição de hoje (29) do JORNAL DE FATO.

Leia:
A governadora Rosalba Ciarlini esteve em Mossoró neste sábado, 28, momento em que concedeu entrevista a alguns veículos de comunicação, prestando contas de seu mandato. Na oportunidade, falou sobre sua situação política, os últimos acontecimentos e, principalmente, da situação atual de Mossoró, com o afastamento da prefeita eleita Cláudia Regina, da administração. Rosalba não quis falar sobre uma possível eleição suplementar, e enfatizou que seu nome é o de Cláudia e que é com ela que tudo será discutido e decidido.
 
Como a Sra. ficou com a decisão do TRE que a tornou inelegível e chegou a pedir o seu afastamento do cargo?
Fiquei surpresa, porque a eleição que fui candidata a governadora não tinha nenhuma pendência, nem existe, então, confundiram como se eu tivesse sido candidata a prefeita, quando eu não fui candidata a nada. Mas a Justiça já foi feita, nós estamos tranquilos porque, como diz o ditado: quem não deve, não teme.  Portanto, estamos confiantes na Justiça.
 
A Sra. fala muito de “forças ocultas”, o que ou quem comandariam essas “forças ocultas”?
São ocultas, então a gente não sabe. Mas não, eu falo, porque, de repente, como é que você pode imaginar: você está fazendo uma obra, uma ação, aí vem alguém, solta uma notícia nacional como se aquilo não estivesse acontecendo. Taí o aeroporto de São Gonçalo do Amarante e ainda dizem, em cadeia nacional, que é uma ilha, quando a obra ainda está acontecendo. É assim: a obra que a gente luta, trabalha, da tudo de si para acontecer, de repente, tentam achar alguma coisa para desvalorizar, ou então aparecer um bocado de pai.

A Sra. se prepara para a reeleição?
Me preparo para o trabalho. Essa é a minha meta. É o trabalho, a ação, são os compromissos que eu quero fazer. Porque foram tantos problemas que eu enfrentei que nós precisamos, a cada dia, lutar mais e mais para superar para puder vencer e melhorar cada vez mais.

Como a governadora analisa a atual situação de Mossoró, com o afastamento da prefeita eleita Cláudia Regina?
Péssimo para Mossoró. Isso está causando instabilidade, insegurança jurídica e prejuízo para a cidade. Porque a prefeita Cláudia começou – meu Deus do céu – fiquei tão feliz em ver a forma como ela estava trabalhando, feliz em ter votado nela e realmente ela ter sido eleita, porque ela estava fazendo um trabalho muito sério, com muitos projetos, com um programa excelente, com a participação popular, aí começou esta instabilidade. Quem tá perdendo, na realidade, é a cidade, é o povo. Meu Deus do céu, tem que, os adversários acabarem com isso, a vontade do povo tem de ser respeitada. Toda vez que eu tinha uma eleição, entravam na Justiça, foi assim no Senado, foi quando entrei na Prefeitura, só que dessa vez a dose foi grande demais aqui em Mossoró. Perdemos um ano, quando poderíamos ter trazido muito mais; quantas vezes até ações que podem ser compartilhadas com o governo, a gente fica sem saber como, porque está uma coisa difícil. O próprio servidor, como é que está? A população, e o fornecedor? Tomara que agora em janeiro tudo fique resolvido na Justiça, que Cláudia possa retomar, possa dar continuidade a esse trabalho, porque da forma que está, só quem perde é Mossoró.

Como o DEM está se organizando com relação a essa situação?
Olha, nossa vontade é que a vontade do povo seja realmente respeitada, preservada, porque foi assim que o povo disse nas ruas: que queria Cláudia (Regina) prefeita. Todos esses fatos que aconteceram se podem mudar o rumo, nós vamos conversar com Cláudia. Ela é a uma grande eleitora para Mossoró e está fazendo um trabalho bom. Eu conheço seus planos, seus projetos e sei da vontade que ela tem de contribuir com a nossa cidade, então o que eu posso dizer é que nós vamos aguardar se realmente se vai se confirmar eleição, ou não; então tudo isso é aguardar.

Kátia Pinto foi citada como possível nome doDEM, numa suposta eleição suplementar. O partido confirma ou são apenas especulações?
Nós não conversamos sobre nada ainda. Minha primeira conversa será com Cláudia. Meu nome é Cláudia, mas aí você pode me dizer: mas Cláudia não poderá ser candidata, mas eu estou aguardando que ela tenha sucesso com as medidas que ela, por direito, solicitou. Se por acaso nada disso acontecer, eu vou conversar com ela e, com certeza nós vamos nos entender.

Como está o seu relacionamento com o senador José Agripino. Especula-se um distanciamento entre vocês.
É só impressão. O Senador está trabalhando em Brasília, o meu trabalho é aqui. É porque, na verdade, estão querendo fazer desacreditar no governo, fazer um linchamento moral, depois que eu fique abandonada por todos. Mas tem uma coisa que me conforta: é porque sei que Deus não me abandona e o povo que me conhece também não.

A Sra. prepara uma reforma no secretariado para 2014?
Olha, aqueles que vão ser candidatos, com certeza em janeiro nós já estaremos analisando esta situação. inclusive até o secretário de  Desenvolvimento Econômico (Rogério Marinho), em uma de suas entrevistas, já disse que vai se afasta em janeiro, em função da campanha. Portanto, nós vamos chamar todos aqueles que tiverem interesse em ser candidatos porque eu acho que, quanto mais cedo desincompatibilizarem será melhor para eles e também para a administração, para evitar qualquer tipo de má interpretação.

O PMDB se afastou mais parece sempre aespreita. Como ficou a situação entre vocês?
Olha, eles disseram, e nisso eu confio, que administrativamente aquilo que for para ajudar o RN eles estarão à disposição

Isso inclui o PR também
Também.Inclusive o coordenador da bancada federal (João Maia) e é muito importante que a bancada federal mantenha o seu apoio às ações, as obras, e, com o governo federal, conseguir mais. Afinal de contas o RN também faz parte deste Brasil e contribui com o seu trabalho para o engrandecimento da nação.

As notas de apoio divulgadas depois das ações do TRE contra a Sra. é uma confirmação de que isso está acontecendo? Como a Sra. as recebeu?
Recebi essa solidariedade e entendo que foi um momento político de entendimento de que, realmente aquilo estava sendo injusto, com um trabalho honesto e sério que nós vamos realizando.

Como a Sra. analisa o quadro político atual no Rio Grande do Norte. A Sra. tem condições de fazer alguma projeção?
Não tenho condições, porque eu acho que para 2014, muita coisa tem para acontecer. Em política, cada dia as coisas mudam. Como dizia Ulisses Guimarães: política é como as nuvens, cada vez que olhamos para o céu vemos uma coisa diferente.  O que está aí hoje, pode não ser a mesma coisa do ano que vem. Quando eu fui candidata ao senado, em janeiro de 2006, isso nem me passava pela cabeça, não havia essa possibilidade e, de repente, quando chegou em junho eu era candidata ao Senado e venci a eleição.

Nenhum comentário: