quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Motolâncias do Samu Natal voltam em


A Prefeitura de Natal promete para dezembro o retorno da operação das motolâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Até lá, os veículos completarão nove meses fora de circulação na cidade. A volta do serviço será possível após a contratação de 143 técnicos aprovados no último processo seletivo da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Destes profissionais, 19 vão trabalhar nas motolâncias, que são utilizadas para atendimentos rápidos.

De acordo com a coordenadora do Samu Natal, Renata Campos, os técnicos estão passando por capacitação e serão avaliados para identificar quais deles têm o perfil para trabalhar nas motolâncias, já que o serviço exige atribuições específicas. “Temos alguns técnicos que já eram e vão voltar para as motolâncias, e agora vamos cobrir essa demanda”, afirma a coordenadora

O problema da desativação do serviço foi mostrado em reportagem da Inter TV Cabugi em agosto. Na época, as motolâncias já estavam paradas há seis meses. Os veículos estavam encostados na oficina de uma empresa terceirizada da prefeitura. Depois de equipados com os kits de primeiros socorros, as motolâncias custam cerca de R$16 mil.

Em Natal, o serviço de Motolância foi implantado em 2009, mas desativado por não ter técnicos de enfermagem em número suficiente para completar a escala. A irregularidade levou o Ministério da Saúde a não reconhecer o serviço e, consequentemente, não transferir as verbas previstas. As sete motocicletas que compõem a frota foram então recolhidas à garagem da empresa terceirizada que faz a manutenção dos veículos do Samu, mas segundo o Município, estão em perfeito estado de uso.

No seu retorno, o serviço de motolância funcionará com três equipes (seis motos), mantendo uma motocicleta como reserva técnica. Cada equipe será composta por dois técnicos de enfermagem habilitados a dirigir motocicletas.

As motolâncias farão uma média de 20 atendimentos por dia, das 7h da manhã às 19h, e serão responsáveis pelo primeiro atendimento ao paciente. Como são mais rápidas no trânsito, as motocicletas agilizam o socorro às vítimas de acidentes ou de paradas cardíacas, já que podem chegar ao local da ocorrência entre 6 a 10 minutos, enquanto as ambulâncias levam de 15 a 20 minutos.

Nenhum comentário: