quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Comércio incendiado no RN não tinha


O comércio onde aconteceu um incêndio seguido de explosões nesta terça-feira (15) na cidade de Nova Cruz, a pouco mais de 90 quilômetros de Natal, não tinha autorização para comercializar fogos de artifício. A informação é do tenente Luiz Gonzaga Fernandes, coodenador de serviço da Central de Gerenciamento de Emergência e Defesa Civil (Ceged).
"A norma de prevenção do Estado prevê que toda casa comercial, até mesmo a mais simples, possua o atestado de vistoria do Corpo de Bombeiros", conta o coordenador. Sobre a venda de explosivos especificamente, o tenente Gonzaga acrescenta que uma portaria do Exército Brasileiro regulamenta o comércio no Brasil.

O estabelecimento onde se originaram as chamas era uma mercearia que vendia bebidas e fogos de artifício. Para o Corpo de Bombeiros, o incêndio poder ter sido causado pelos explosivos no local. "O botijão de gás foi atingido e as chamas se espalharam. O que tinha de fogos de artifício foi explodindo", explica.

Para o coordenador de serviço do Ceged, em uma cidade onde não há unidade do Corpo de Bombeiros próxima, como é o caso de Nova Cruz, é ainda mais difícil os estabelecimentos comerciais cumprirem as normas de segurança.

O Corpo de Bombeiros contabilizou dois imóveis atingidos, a mercearia e um comércio que funcionava ao lado. Segundo o major Genílton Tavares, comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar, "as pessoas que estavam nos imóveis saíram após as primeiras explosões".

Como a cidade não possui brigada de incêndio, policiais militares e voluntários utilizaram carros-pipa para controlar as chamas enquanto o Corpo de Bombeiros não chegava ao local. As quatro pessoas que estavam no estabelecimento onde se originou o incêndio deixaram o local. Entre elas estava o proprietário do comércio, que não foi localizado até o momento.

Nenhum comentário: