segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Acusado de praticar onze homicídios é preso no Bom Pastor

Acusado de praticar onze homicídios, tendo o último ocorrido na tarde de ontem (26) no bairro do Bom Pastor, zona Oeste de Natal, Felipe Santos Araújo, de 19 anos, conhecido como "Coqueiro", foi preso hoje à tarde por policiais do 9º Batalhão da Polícia Militar, no mesmo bairro.

De acordo com a polícia, Coqueiro foi abordado hoje por PMs na rua Manoel Máximo, no Bom Pastor. Durante a abordagem ele fugiu entre os becos da rua e por cima das casas. Após cerca de duas horas de diligências policiais pelo bairro, Felipe Aráujo foi encontrado numa casa por volta das 14h, na mesma rua onde foi feita a abordagem. Segundo ele, a casa é de uma prima sua.
Os policiais que fizeram a abordagem ao suspeito afirmam que ele estaria com uma pistola, mas a arma não foi encontrada no momento da prisão.

Segundo o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, Coqueiro já foi condenado a pena de sete anos a ser cumprida em regime semiaberto por homicídio.
O último crime praticado por Felipe Santos Araújo, segundo informações da polícia, foi o assassinato de Fábio Fagner de Oliveira, 26 anos, também na rua Manoel Máximo, na tarde desse sábado. O 9º Batalhão afirma que a vítima, mais conhecida como Fabinho do Mereto, pilotava uma motocicleta quando dois dos diversos disparos feitos por Coqueiro atingiram sua cabeça.

Familiares de Fábio Fagner de Oliveira compareceram por volta das 15h à Delegacia de Plantão da Zona Sul, para onde Felipe Santos Araújo foi levado, para prestar depoimento sobre o acusado. O irmão da vítima, Fabiano Francisco de Oliveira, 31 anos, disse que seu irmão trabalhava como servente. Sobre Coqueiro, ele disse: "tinha prazer de dizer que matou o povo".

Fabiano contou ainda que o motivo da execução seria uma rixa que Coqueiro tinha com pessoas da rua Francisco Cunha, onde Fábio e Fabiano moravam. "Ele disse que não queria ninguém dessa rua na rua dele [a Manoel Máximo]", explica.

Katiele de Assis Silva, 26 anos, é viúva de Fábio. Ela conta que seu marido não tinha inimigos e que "andava tranquilamente no Bom Pastor". "Ele era um bom marido, um bom pai. Se ele [o acusado] tivesse matado um vagabundo, eu ficava calada, mas ele matou um pai de família", disse chorando, ela que está grávida e cria três meninas, de oito, três e dois anos. O pai morreu no dia do aniversário da filha mais nova.

Além de matar Fábio Fagner de Oliveira, Coqueiro é acusado de praticar outros dez homicídios. Ele foi detido em decorrência de um mandado de prisão já expedido contra Felipe Santos Araújo
Atualizada às 15h28 para acréscimo de informações

Nenhum comentário: